Sejamos docemente pornográficos

Brasileiro adora bunda, isso é fato. De calça apertada, larga, de saia, de pijama, andando, parada, dançando, pulando, não importa. Eles vão olhar de qualquer jeito! Ah! E a preferência não é apenas estética, porque mais do que olhar, eles querem um contato beeeeem íntimo, se é que vocês entendem!

Isso é sexo anal – um tabu na nossa cultura, preferência nacional e quase uma obsessão. Pudor, medo, dor, constrangimento e curiosidades são os adjetivos mais comuns quando o assunto é “tocar o lado B”.

De um lado os homens, loucos por bundas e mulheres loucas para agradarem seus homens e serem consideradas super amantes. Do outro, mulheres com medo, conservadoras e inseguras.

Preferências à parte, ignorem todos os tabus e preconceitos que envolvem esse tema, pois é hora de focar no significado real do sexo anal: não passa de uma das inúmeras formas de encontrar prazer na cama. Bem-informados e esclarecidos, a decisão de fazer, ou não, é do casal (no caso, mais da mulher). E por mais que vocês sejam experientes no que diz respeito a sexo, sempre existe algo novo a aprender. Então, que tal pensar a respeito?

Para início de conversa, as mulheres não devem aderir ao sexo anal apenas para agradar seu parceiro. Tem que rolar aquela vontade, de ambas as partes, porque se não for assim dificilmente ela conseguirá “liberar”. No sexo, tudo é baseado em aprendizado e respeito.

O primeiro passo a ser dado é uma conversa franca sobre todas as vontades e fetiches de cada um, para, enfim, poder chegar ao assunto em questão! Se a parceira disser “não”, respeite sua vontade! Insistir pode fazer com que ela se sinta desrespeitada e passe a odiar o assunto. Segure a onda e volte a falar disso em um momento mais oportuno!

Entretanto, as coisas podem fluir melhor do que se imagina! Pois é, existem mulheres que são abertas a novas experiências e morrem de vontade de saber o poder que o traseiro reserva – isso sem contar as já adeptas a essa prática sexual! A região anal, por ser repleta de terminações nervosas, é um local que pode sim proporcionar muito prazer às mulheres!

De qualquer forma, mesmo se a mulher estiver disposta, a coisa não rolará no estilo “pá-pum”! A primeira vez pode ser muito estranha, por se tratar de algo novo, o que sempre vem acompanhado de insegurança e ansiedade. Por isso, um clima propício, confiança no parceiro, cuidado e desejo são pontos primordiais para relaxar o ambiente e começar a descobrir um novo universo. Saiba que a primeira penetração no ânus não será de muito prazer, nem a segunda – embora já de para sentir algo mais gostoso –, e a partir da terceira vez as coisas começarão a ficar bem mais gostosas. Mas isso tudo varia muito da capacidade de relaxamento da pessoa e das técnicas de sedução e penetração do parceiro.

Uma dica: antes de cogitar a hipótese de colocar diretamente o pênis no ânus, é necessário preparar o terreno, por isso use o dedo. Sim, ele tem importância fundamental nesse processo. Pegue um lubrificante à base de água e espalhe boa quantidade, fazendo movimentos circulares em torno do ânus. Depois, introduza o dedo bem devagar. Não vá fundo – pelo menos ainda não. Coloque apenas a ponta do dedo e faça movimentos suaves e lentos de entrada e saída. Isso irá ajudar sua parceira a relaxar, além de excitá-la muito. Aos poucos, vá aprofundando a penetração, sempre atento às reações dela. Lembre-se: seu objetivo é dar prazer!

Terreno pronto, hora de avançar! Não podem faltar os ingredientes básicos: o lubrificante, como já foi dito, e camisinhas, claro! É necessário utilizá-las nesse momento também, pois, além do ânus conter bactérias, o risco de contágio de DSTs também existe. Proteção nunca é demais, sem contar que é obrigatório trocar a camisinha quando for partir para o sexo vaginal!

Feito isso, uma boa ducha antes da prática anal é sempre bem vinda e faz parte da preparação. Depois, hora da ação! Use e abuse das preliminares. Se elas são importantes na hora do sexo vaginal, no anal elas são indispensáveis. A mulher tem que estar excitada, com tesão e sentindo vontade de… partir para o novo! Sendo assim, capriche nos beijos, nas carícias, nas palavras (“Sejamos docemente pornográficos”, já dizia o poeta Drummond de Andrade) e use a língua. Afinal, nada mais justo do que cobrir de beijinhos, mordidinhas e lambidas uma coisa que você deseja tanto.

Quando for escolher uma posição para a primeira vez, ao contrário do que possa parecer, “de quatro” não é a mais recomendada para iniciantes! Prefira uma em que a parceira sente sobre o pênis (um de frente para o outro, ele de pernas flexionadas e os braços abertos), pois assim ela poderá controlar a penetração e os movimentos, ou deixe-a deitada de barriga para baixo sem levantar muito os quadris! Com o passar do tempo, ela vai se acostumando com as sensações e, então, posições não faltarão: em pé, de quatro, de lado, enfim… Como preferirem!

Um lembrete básico: quando for introduzir o pênis pela primeira vez, vá devagar! Passe muito, mas muito lubrificante em sua parceira e atenção! Não force a penetração de jeito nenhum e nem faça movimentos vigorosos (até que o momento permita).

Sexo anal ainda é um universo a ser descoberto! É importante que os homens saibam que elas ainda resistem por alguns motivos como medo da dor, pelo julgamento pejorativo da prática e por receio de não serem bem cuidadas pelo parceiro – pode acontecer de desistirem na hora H e caso isso aconteça, não forcem a barra, paciência é a chave. Não esqueçam disso, hein rapazes!

Por outro lado, existem muito motivos que podem despertar a vontade delas: o fato da descoberta de novos prazeres, de serem totalmente comandadas pelo parceiro, de descobrir mais uma forma de ter orgasmos e o que mais elas quiserem pensar sobre o assunto!

O importante é que haja sempre uma boa conversa, qualquer que seja o assunto. A partir daí, o respeito e o desejo contarão muito para que as coisas aconteçam da melhor forma possível entre o casal.

Na hora de apimentar as coisas debaixo do lençol, a regra é a mesma: você precisa saber até onde quer, e pode ir. Tabus à parte, a pior mancada é seguir um roteiro fixo. Sendo assim, experimente novas possibilidades e sensações! Havendo sintonia, não haverá arrependimentos!

Fontes

http://www.terra.com.br
http://www.leveiumpenabunda.com.br/html
http://sexo.vejatudo.com

Uma resposta para Sejamos docemente pornográficos

  1. luiz carlos disse:

    eu gostatia de ver mais sexos ao vivo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: