Bondage para iniciantes


Muita gente tem vontade de experimentar práticas diferentes na cama. Mas às vezes, por medo ou desconhecimento de causa, acabam desistindo. Quem curte ser dominador pode pensar que é difícil realizar essa fantasia, mas não é tanto. Este é um guia para simplificar o chamado bondage, e mostrar que pode ser facilmente praticado, sem efeitos colaterais. Vamos ver:

1 – Ata-me
Na hora de amarrar o parceiro, é bom lembrar que a corda vai estar em contato direto – e atrativo – com a pele. Por isso, evite cordas de materiais muito ásperos. E não devem ser muito finas também, pois as finas prendem a circulação e machucam a pele.

2 – Vários tamanhos
Tenha vários tamanhos de corda, que você mesmo pode cortar. Assim, pedaços mais curtos servem para amarrar mãos e pés e os mais longos para amarrar, por exemplo, a pessoa junto a uma pilastra..

3 – Outros materiais
Quem não tem corda, pode usar plásticos. São interessantes para amarrar e também “embalar” o escravinho. O cuidado deve ser com o tempo de uso, pois pode aquecer bastante o corpo da pessoa, então é bom controlar isso.

4 – Sem lenço e sem documento
Evite usar materiais como lenços para amarrar. Especialmente se forem lenços de nylon.

5 – Tesouras
Mantenha tesouras próximas. Não para matar o parceiro, lógico, mas para cortar rapidamente a corda ou o plástico que estiver amarrando o escravo, em caso de urgência.

6 – Um passo de cada vez
Evite fazer coisas mirabolantes no início, como ser suspenso por ganchos e outras práticas do gênero. É arriscado para quem está começando e ainda não domina, e o corpo ainda não está preparado para suportar certas dores.

7 – Não aperte muito
Cuidado para não apertar demais. Principalmente em áreas críticas, como o peito – para não prejudicar a respiração – ou órgãos vitais.

8 – Não abandone seu escravo
Nunca deixe o dominado largada num quarto, amarrado ou amordaçado, sozinho, por qualquer período. Afinal, ele pode passar mal, sufocar, ter algum problema grave e não vai haver ninguém para socorrer. Mas se o dominador permanece no recinto, tudo bem manipular o tempo.

9 – Palavrinha mágica
Prática comum no universo sado-maso é o uso de uma senha combinada previamente. Ao pronunciar a tal palavra escolhida, o dominador deve parar imediatamente. Evite escolher a palavra “pare” ou algo assim, pois é comum durante o bondage o escravo gritar “pare” e isso fizer parte do fetiche. Escolha uma palavra bem insólita e marcante, tipo “manjedoura”.

10 – Sem limites
Apesar de todos os cuidados, sempre é legal desafiar seus limites. Vá testando e ultrapassando as barreiras. Estender limites pode ser uma boa injeção de prazer na hora do ato em si. Qualquer prática é permitida desde que haja um cuidado com a saúde e ambos concordem com ela. Dê asas à imaginação e compartilhe suas fantasias com seu parceiro.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: